Santa Maria, Mãe dos Escutas

No Escutismo Católico Português, Nossa Senhora foi desde sempre invocada como Mãe dos Escutas e continua hoje a ser assim considerada.

Notas Biográficas

Maria, ou «Miriam», em hebraico, foi uma jovem judia escolhida por Deus para ser mãe de Jesus, o Salvador do Mundo. Tradicionalmente, é considerada da família do rei David, embora não haja certezas sobre se o seria diretamente ou por ter casado com José. Também não se sabe ao certo nada de seguro sobre os seus pais ou o local de nascimento. Há apenas alguns dados da tradição que apontam no sentido de Joaquim e Ana serem os seus pais. Lc 1,26 e Lc 2,4 indicam que Maria morava em Nazaré da Galileia.

Significado de Santa Maria para a Igreja

O Concílio Vaticano II ensina que «o culto a Maria faz com que, ao honrarmos a Mãe, seja bem conhecido, amado e glorificado o Filho» (LG 66-67). O ponto mais elevado da vida de Nossa Senhora foi o acolhimento da Anunciação que lhe dirigiu o anjo Gabriel, enviado por Deus. Vendo no anjo a vontade divina, Maria colocou-se por inteiro nas mãos de Deus com confiança, dizendo: «Faça-se em mim segundo a Vossa palavra.» (Lc 1,38) Por isso, Santa Maria é exemplo de vida de fé e de pleno acolhimento do querer de Deus.

Nossa Senhora é invocada pelos fiéis de muitas formas, entre as quais está a invocação de «Mãe de Deus». Por ser «Mãe de Deus» e «nossa Mãe», Maria é apoio seguro a quem sempre podemos recorrer, e singular intercessora junto de Deus. Maria ocupa ainda um lugar singular na devoção cristã em Portugal, desde os tempos mais remotos da nacionalidade, sendo mesmo a característica mais vincada da religiosidade popular no nosso país.

Ultima atualização 14.09.2016 Visualizações 2319
Voltar Partilhar